Prefeitura de Gurupi

Unidas desde o ventre da mãe, trigêmeas iniciam a vida escolar na mesma sala de aula

23/01/2019

O início da vida escolar é uma fase inesquecível na vida de qualquer pessoa. A criança passa a conhecer um mundo novo, inicia as primeiras amizades e na maioria das vezes é o primeiro momento em que fica mais tempo longe dos pais e dos irmãos. Mas para algumas crianças essa distância no período em que está em sala de aula é somente dos pais, como é o caso das trigêmeas Lorena, Camila e Helena, de 04 anos, que iniciaram nessa segunda-feira, 21, a vida escolar na Escola Municipal Lenival Correia, e estão dividindo a mesma sala. Das três, Camila e Helena são univitelinas (idênticas), já Lorena é bivetelina (não idênticas).

 

A diretora da unidade escolar, Elian Campos, comenta que é o primeiro caso de trigêmeos na Escola e que os outros dois irmãos das crianças também já estudam na escola.

 

A professora do Pré I, Valdirene Barbosa, também relata que é primeira experiência com irmãos trigêmeos e que é um desafio pois existe um vínculo sentimental muito forte. “Como são os primeiros dias de aula elas ainda estão adaptando à rotina. Esse vínculo forte percebi nitidamente quando em um momento a Camila chorou e a Lorena ao vê-la chorando também começou a chorar. Acredito que seja pela ligação forte que elas têm”, comenta falando que embora elas sejam parecidas e unidas é preciso trabalhar a individualidade de cada uma. “Também é interessante que elas não sentem a necessidade de ficarem grudadas, às vezes elas sentam longe uma da outra e estão interagindo muito bem com as outras crianças”, relata a professora.

 

A professora comenta que já tem uma estratégia para identificar Camila e Helena, pois é importante chamar cada uma pelo nome correto, sem confundi-las. A estratégia de identifica-las foi apontada por elas mesmo, que é um sinal que a Helena tem no pescoço.

 

 

A mãe das crianças, Elvira Xavier, comenta que é a primeira vez que se separa das meninas e que como todo mãe sentiu um aperto no coração, mas sabe da importância desse processo. Ela afirma  que as três irmãs são muito unidas e que está satisfeita delas estarem na mesma sala.  “No primeiro dia de aula eu chorei muito em me separar delas, e elas também choraram, mas é confortante saber que estão juntas. Elas estão amando estudar, o choro só foi no primeiro dia”, destaca elogiando a professora das meninas e a atenção da Escola Lenival com todas as crianças.